Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/8767
Files in This Item:
There are no files associated with this item.
Type: Tese
Title: Associação dos sintomas do trato urinário inferior com a variabilidade da frequência cardíaca e componentes da aptidão física em homens normotensos
Author: Brum, Christiano Silva
First Advisor: Figueiredo, André Avarese de
Co-Advisor: Leite, Isabel Cristina Gonçalves
Referee Member: Lopes, Humberto Elias
Referee Member: Lima, Jorge Roberto Perrout de
Referee Member: Ferreira, Ruiter Silva
Referee Member: Silva, José Ailton Fernandes
Resumo: Introdução: os sintomas do trato urinário inferior têm alta prevalência, prejudicam a qualidade de vida. Compartilham a aptidão física inadequada como fator de risco para alterações autonômicas, síndrome metabólica e doença cardiovascular. Tais associações possibilitam ações preventivas e terapêuticas. Não encontramos na literatura pesquisa que avaliou a associação dos sintomas do trato urinário inferior com a variabilidade da frequência cardíaca e variáveis da aptidão física em homens normotensos sem relato de doenças crônicas. Objetivo: avaliar a associação dos sintomas do trato urinário inferior com a variabilidade da frequência cardíaca e a aptidão física em homens normotensos. Métodos: Foi realizado estudo caso-controle com 89 homens sendo 34 no grupo caso com sintomas do trato urinário inferior e 55 no controle sem sintomas do trato urinário inferior. Os grupos foram comparados em relação ao nível de atividade física, medidas antropométricas, flexibilidade, ao consumo máximo de oxigênio (VO2max) e variabilidade da frequência cardíaca. Resultados: os pacientes com sintomas do trato urinário inferior apresentaram menor nível de atividade física (OR = 0,20; IC95% = 0,08 a 0,49; p < 0,001), menor VO2max (OR = 0,07; IC95% = 0,08 a 0,49; p < 0,001) e menor flexibilidade (OR = 0,31; IC95% = 0,11 a 0,83; p = 0,015). Com relação à variabilidade da frequência cardíaca, o índice de frequência muito baixa do grupo caso apresentou valor estatisticamente menor (p = 0,032). Entretanto, na análise multivariada, apenas o VO2max (OR = 0,12; IC95% = 0,03 a 0,39; p = 0,001) e o nível de atividade física (OR= 0,26 (IC95% = 0,19 a 0,70; p = 0,007) mantiveram a associação estatística com os sintomas do trato urinário inferior. Conclusões: homens com sintomas do trato urinário inferior apresentam diminuição dos valores do componente espectral de muito baixa frequência da variabilidade da frequência cardíaca. Homens com o VO2max igual ou superior a 33 ml.kg.min-1, têm 88% menos chance de desenvolverem sintomas do trato urinário inferior e aqueles com o nível de atividade física igual ou superior a 150 minutos por semana tem 74% menos chance de ter sintomas do trato urinário inferior.
Abstract: Introduction: the symptoms of lower urinary tract symptoms have prevalence and harm the quality of life. They share an inadequacy of fitness as a risk factor for autonomic changes, metabolic syndromes and cardiovascular diseases. Associations like these enable preventive and therapeutic actions. We could not find, in the searching literature, which assessed the association of lower urinary tract symptoms with the heart rate variability and variables of fitness in normotensive men without chronicle disease report. Objective: to evaluate the association of lower urinary tract symptoms with heart rate variability and physical fitness in normotensive men. Methods: a case-control study was conducted with 89 men, 34 in the case group with lower urinary tract symptoms and 55 in the control group without lower urinary tract symptoms. The groups were compared in relation to physical activity level, anthropometric measures, flexibility, maximum oxygen consumption (VO2max) and heart rate variability. Results: patients with lower urinary tract symptoms presented lower physical activity levels (OR = 0.20, 95% CI = 0.08 to 0.49, p < 0.001), lower VO2max (OR = 0.07, 95% CI = 0.08 to 0.49, p < 0.001), and lower flexibility (OR = 0.31, 95% CI = 0.11 to 0.83, p = 0.015). Regarding heart rate variability, the very low frequency index did the case group present a statistically lower value (p = 0.032). However, in the multivariate analysis, only VO2max (OR = 0.12, 95% CI = 0.03 to 0.39, p = 0.001) and physical activity level (OR = 0.26, 95% CI = 0.19 to 0.70; p = 0.007) maintained a statistical association with lower urinary tract symptoms. Conclusions: Men with lower urinary tract symptoms present decreased values of the very low frequency spectral component of heart rate variability. Men with VO2max equal to or greater than 33 ml.kg.min-1 are 88% less likely to develop lower urinary tract symptoms and those with physical activity level equal to or greater than 150 minutes per week are 74% less likely to have lower urinary tract symptoms.
Keywords: Sintomas do trato urinário inferior
Aptidão cardiorrespiratória
Modulação autonômica cardíaca
Variabilidade da frequência cardíaca
Flexibilidade
Nível de atividade física
Lower urinary tract symptoms
Cardiorespiratory fitness
Cardiac autonomic modulation
Heart rate variability
Flexibility
Physical activity level
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Institution Initials: UFJF
Department: Faculdade de Medicina
Program: Programa de Pós-graduação em Saúde Brasileira
Access Type: Acesso Embargado
URI: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/8767
Issue Date: 6-Dec-2018
Appears in Collections:Doutorado em Saúde (Teses)



Items in DSpace are protected by Creative Commons licenses, with all rights reserved, unless otherwise indicated.