Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/4952
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
alessandralamasgranerolucchetti.pdf20.23 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
Type: Tese
Title: Avaliação de estratégias de ensino sobre “Geriatria e Gerontologia” na graduação em medicina
Author: Lucchetti, Alessandra Lamas Granero
First Advisor: Moreira-Almeida, Alexander
Co-Advisor: Ezequiel, Oscarina da Silva
Referee Member: Bastos, Marcus Gomes
Referee Member: Tibiriça, Sandra Helena Cerrato
Referee Member: Gorzoni, Milton Luiz
Referee Member: Motta, Luciana Branco da
Resumo: Introdução: O envelhecimento populacional é uma realidade mundial e essa rápida transição demográfica traz novos desafios à medicina. Nesse contexto, a incorporação do ensino da geriatria torna-se uma necessidade no ensino médico. Entretanto, ainda são poucos os estudos que avaliam o quanto essas intervenções poderiam repercutir na formação do estudante de medicina. Trazer evidências científicas sobre o ensino médico nessa área pode auxiliar na definição de estratégias didáticas em geriatria, necessárias a um efetivo processo ensino-aprendizagem e baseadas em evidências. Objetivo: Avaliar o impacto de diferentes estratégias educacionais sobre o tema “Geriatria e Gerontologia” ao longo da graduação no desenvolvimento de competências do estudante de medicina perante o idoso. Método: Foi realizado um estudo de intervenção em educação (desenho pré-pós teste com grupo controle não randomizado) em diferentes períodos do curso de medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora. No primeiro período foram comparadas novas estratégias educacionais breves (oficinas “vivência do envelhecimento” e “mitos do envelhecimento”) em relação a uma turma controle (não submetida à intervenção). No quinto período, duas diferentes estratégias educacionais incorporadas a uma disciplina teóricoprática de geriatria (flipped classroom/sala de aula invertida e aulas expositivas) foram comparadas a um grupo controle (que não teve a intervenção). Todos os alunos foram avaliados quanto à sua atitude perante o idoso (Maxwell-Sullivan, UCLA geriatric atittudes, Neri), empatia (Maxwell-Sullivan), conhecimento (Palmore, conhecimentos cognitivos) e no grupo submetido às intervenções foram avaliadas ainda as habilidades (mediante a utilização de uma avaliação com paciente padronizado) e a opinião dos estudantes sobre a disciplina. Os dados foram avaliados por meio de estatística descritiva e com a utilização de teste t ou ANOVA para medidas independentes (comparação entre grupos) e teste t ou ANOVA para medidas repetidas (para avaliação em diferentes momentos). Resultados: Foram avaliados 230 alunos do primeiro período, que foram divididos em 72 do grupo “controle" - GC, 82 do grupo “vivência do envelhecimento" - VE e 76 do grupo “mitos do envelhecimento" - ME). Comparando-se cada grupo no pós e pré intervenção, o grupo VE teve piora da atitude geral, menor índice de conhecimento e um maior negativismo, porém com aumento da empatia. Já o grupo ME, teve melhora da atitude geral, maior conhecimento e maior positivismo. Na comparação entre essas diferentes estratégias, o ME teve maior atitude e conhecimento em relação aos grupos VE e grupo “controle”. No quinto período, foram avaliados 243 estudantes, sendo 77 do grupo “controle” – GC (sem exposição a geriatria), 83 do grupo exposto ao método tradicional (TR) e 83 do grupo exposto ao método flipped classroom (FL). Apesar do grupo TR e FL terem apresentado grande aumento no conhecimento, atitudes e habilidades em relação ao GC e comparando-se antes e após a intervenção, o grupo FL apresentou maior ganho de conhecimento dos estudantes e um aumento na atitude comparado com o TR. Não houve diferença na avaliação de habilidades com paciente simulado. Os estudantes submetidos a FL sentiam-se mais preparados para atender o idoso, julgavam ter um maior conhecimento e avaliaram melhor o formato da disciplina em relação ao grupo tradicional no questionário de avaliação da disciplina. Conclusão: O presente estudo mostra que estratégias breves ou mais longas no ensino da geriatria podem impactar o conhecimento, atitude, empatia e a percepção a respeito das mesmas pelos estudantes, dependendo da forma com que são oferecidas. Esses resultados mostram a importância de aferir as estratégias educacionais no ensino médico para que seja possível verificar de que forma, em quais situações e em que contexto tais atividades são mais efetivas, orientando suas escolhas no decorrer do processo ensino-aprendizagem.
Abstract: Introduction: The aging of the population is a global reality and this rapidly demographic transition brings new challenges to medicine. Within this context, the implementation of geriatric teaching in medical education is needed. However, few studies have already investigated how these educational interventions may impact the medical student training. New scientific evidence in this field can help in choosing new evidence-based educational strategies aiming an effective teaching-learning process. Objectives: To investigate the impact of different educational strategies on the subject “Geriatrics and Gerontology” in the development of medical students’ competences towards older people in different moments of undergraduate training. Methods: An educational intervention-based study (pre-post test design with a nonrandomized controlled group) was carried out in different undergraduate moments at the school of medicine – Federal University of Juiz de Fora (Brazil). In the first semester of the medical course, brief new educational strategies (“Experiencing aging/Aging game” and “myths of aging”) were compared to a control group (not submitted to any intervention). In the fifth semester of the medical course, during a theoretical and practical “Geriatrics and Gerontology” subject, two educational strategies (flipped classroom and traditional lectures) were compared to a control group (not submitted to any intervention). All students were evaluated through their attitudes towards older persons (Maxwell-Sullivan, UCLA geriatric attitudes, Aging semantic differential), empathy (Maxwell-Sullivan) and knowledge (Palmore and cognitive knowledge). In the groups submitted to the intervention, we have also evaluated their skills (through a standardized patient assessment) and their opinions/satisfaction with the activities. Data was analyzed using descriptive statistics, t-test or ANOVA for independent samples (comparison between groups) and t-test or ANOVA for repeated measures (comparison between different moments). Results: A total of 230 students were assessed in the first semester of the course and were divided in the following groups: 72 in the control group – CG, 82 in the “experiencing aging” group – EA and 76 in the “myths of aging” group - MA. Comparing pre and post test scores, EA group had a greater negativism and a worsening of attitude and knowledge, but an improvement in empathy. On the other hand, the MA intervention was associated with an improved attitude, knowledge and a positive view about aging. Comparing these different strategies, MA showed better attitude and knowledge in relation to EA and the control group. In the fifth semester, a total of 243 students were assessed, 77 in the control group – CG, 83 in the group exposed to traditional lectures (TR) and 83 exposed to the flipped classroom method (FL). Although both intervention groups showed a great increase in the attitudes, knowledge and skills comparing pre/post intervention and in comparison to the CG, the FL group showed higher knowledge and attitude than the TR group. We found no differences in the skills using a standardized patient. In addition, students in the FL intervention, felt more prepared to interview an older person, felt they had more knowledge and rated higher the discipline in comparison to the TR group. Conclusion: The present study shows that brief or long-term educational strategies in the teaching of geriatrics can impact the knowledge, attitude, empathy and students’ satisfaction, depending of the way these strategies are offered. These data highlight the importance of assessing the outcomes of educational strategies in medical teaching to ascertain in what manner, situations and settings these activities may be more effective in the teaching-learning process.
Keywords: Educação médica
Geriatria
Medicina
Cuidado ao idoso
Metodologias de ensino
Medical education
Geriatrics
Medicine
Care for the aged
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Institution Initials: UFJF
Department: Faculdade de Medicina
Program: Programa de Pós-graduação em Saúde Brasileira
Access Type: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/4952
Issue Date: 28-Apr-2017
Appears in Collections:Doutorado em Saúde (Teses)



Items in DSpace are protected by Creative Commons licenses, with all rights reserved, unless otherwise indicated.