Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/3149
Files in This Item:
File Description SizeFormat 
luizmarceloamaralgalvaonunes.pdf1.14 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open
Type: Dissertação
Title: Avaliação do enxerto ósseo autógeno e estudo da osseointegração de implantes nos períodos de incorporação e maturação óssea em áreas submetidas a cirurgia de enxerto ósseo em elevação de seio maxilar
Author: Nunes, Luiz Marcelo Amaral Galvão
First Advisor: Chaves Netto, Henrique Duque de Miranda
Referee Member: Fabri, Gisele Maria Campos
Referee Member: Guimarães Filho, Rubens
Resumo: A Implantodontia, afim de, proporcionar melhores resultados estéticos e funcionais, tem apresentado inúmeras inovações e tecnologias visando alcançar estes objetivos associado a redução do tempo de tratamento. Contudo pacientes que apresentam a necessidade de cirurgias de reconstruções associadas a enxertos ósseos visando à instalação adequada destes implantes permanecem como desafios. Deste modo, o presente trabalho analisou o enxerto ósseo autógeno em dois diferentes períodos e avaliou os implantes instalados nestes períodos analisados, a pesquisa foi subdividida e descrita nos Capítulos à seguir. CAPITULO I: Análise histológica das características existentes no processo de incorporação e maturação óssea em áreas submetidas à cirurgia de enxerto ósseo em elevação de seio maxilar. Observou-se nos dois períodos analisados, correspondentes do processo de reparo ósseo, que foram semelhantes em ambos períodos. Deste modo, pode-se concluir que o enxerto ósseo autógeno apresenta características semelhantes na fase de incorporação (2 meses) e maturação (6 meses) o que possibilita a manipulação deste tecido na fase mais inicial sem o seu comprometimento. CAPITULO II: O propósito deste capítulo foi avaliar a osseointegração em dois períodos diferentes sendo, incorporação (2 meses) e maturação (6 meses) óssea em áreas submetidas a cirurgia de enxerto ósseo em elevação de seio maxilar e a estabilidade da prótese instalada. Observou-se nos dois períodos analisados, a incorporação óssea (2 meses) e maturação óssea (6 meses), que embora divergentes nas etapas de reparo ósseo, apresentaram resultados semelhantes para a osseointegração e estabilidade da prótese. Deste modo, pode-se concluir que a inserção de implantes osseointegráveis nestas regiões em menor período de reparo, ou seja, na fase de incorporação óssea (2 meses) não compromete a osseointegração nem tão pouco a estabilidade da prótese a longo prazo. A redução do tempo de tratamento de pacientes submetidos a cirurgias de reconstruções com enxerto ósseo em elevação de seio maxilar é possível realizando a instalação dos implantes no período de incorporação óssea.
Abstract: The implantology in order to provide better aesthetic and functional results, presented numerous innovations and technologies to achieve these goals associated with reduced treatment time. However patients who have the need for reconstructive surgery associated with bone grafts seeking the proper installation of these implants remain as challenges. Thus, this work presents two studies described in the following chapters. Article I: Histological analysis of existing resources in the process of development and maturation in areas prone to bone graft surgery in sinus floor elevation. It was observed in both periods analyzed, bone repair, which were similar in both the periods. Thus, it can be concluded that autogenous grafts has similar characteristics in the incorporation phase (2 months) and mature (6 months), allowing the tissue manipulation in the initial stage without their involvement. Article II: The objective of this chapter was to evaluate the osseointegration in two different periods being, incorporation (2 months) and maturity (6 months) bone in areas subjected to bone graft surgery in sinus floor elevation and stability of the installed prosthesis. It was observed in both study periods, the bone ingrowth (2 months) and maturation (6 months), although at different stages of bone healing that showed similar results for bone integration and stability of the prosthesis. Thus, it can be concluded that the insertion of dental implants in these regions in the shortest repair, namely on bone growth phase (2 months) does not jeopardize the osseointegration or long-term stability of the prosthesis. The reduction in the treatment of patients undergoing reconstructive surgery with bone grafting time in sinus floor elevation is possible to perform the installation of implants in bone growth period.
Keywords: Enxerto ósseo
Implantodontia
Osseointegração
Sinus lift
Cirurgia buco maxilo facial
Cirurgia oral
Bone grafting
Dental implants
Osseointegration
Sinus Lift
Maxillofacial Surgery
Oral Surgery
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Language: por
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Institution Initials: UFJF
Department: Faculdade de Odontologia
Program: Programa de Pós-graduação em Clínica Odontológica
Access Type: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/3149
Issue Date: 6-Sep-2016
Appears in Collections:Mestrado em Clínica Odontológica (Dissertações)



Items in DSpace are protected by Creative Commons licenses, with all rights reserved, unless otherwise indicated.